fbpx

Carta aos Empreendedores que participaram da seleção do programa de capacitacao StartupSC

Carta aos Empreendedores que participaram da seleção do programa de capacitacao StartupSC

Meus amigos, no dia 14 de abril serão anunciados os selecionados da 13ª Turma do Programa de Capacitação Startup SC e quero conversar com todos vocês que participaram deste processo seletivo.

Em primeiro lugar, precisamos todos comemorar um fato muito importante para o ecossistema empreendedor do estado: tivemos 380 startups inscritas, e mais importante, o nível das empresas tem crescido ano após ano!

Nosso desafio para selecionar as 50 empresas será enorme, e já adianto que teremos pela frente meses de muito trabalho, aprendizado, “pivots“ e crescimento.

Como um dos selecionadores das startups, gostaria de compartilhar os principais critérios que tem norteado nossa avaliação, de tal forma que vocês possam voltar para a próxima seleção com ainda mais chances de serem selecionados.

Critérios Absolutos 

Aprendemos ao longo do tempo que existem algumas características básicas para que uma startup participe de forma eficiente do programa. Desta forma, se sua empresa não se enquadra nelas não será selecionada, independente de qual modelo de negócios está propondo.

1 – Site

Empresas que aplicam ao programa e sequer tem um site no ar não são selecionadas. Acreditamos que é provável que se gaste mais esforço para preencher o formulário do que para fazer um site simples. A falta de site mostra para nós que o negócio está numa fase muito incipiente ou que o empreendedor não entendeu que precisa ir ao mercado para validar sua ideia. Portanto, sem site, não passa.

2 – Empreendedor Solitário

Sabemos que criar uma startup é uma jornada longa e árdua e que não tem como ser percorrida por um empreendedor solitário. Por conta disso, buscamos times com ao menos dois participantes. Não faça isso sozinho!

3 – Tem que ser uma startup!

Pode parecer óbvio, mas recebemos muitas inscrições de empresas que não são startups (“organização temporária em busca de um modelo de negócios repetível e escalável”, Steve Blank). É comum recebermos inscrições de software-houses, agências, consultorias, etc. Se você tem uma empresa de serviços e quer fazer um spin-off, será muito bem-vindo ao programa, mas inscreva seu novo negócio e não a empresa de serviços. Empresas não escaláveis não podem participar.

Critérios Qualitativos

Após fazermos uma seleção das empresas que se adequam aos critérios absolutos, iniciamos uma análise detalhada dos critérios qualitativos. Destaco abaixo os principais aspectos analisados:

1 – Time

Buscamos sempre um time complementar e que possua uma equipe com as competências necessárias no core-business. Portanto, se você tem uma startup que produz um app e não tem desenvolvedores no seu time, perderá muitos pontos neste critério. Por outro lado, se você atua, por exemplo, com uma solução para a área jurídica e possui um advogado e um programador no time, marcará um diferencial em relação aos demais.

2 – Alocação do Time

Para participar de um programa intensivo como o StartupSC e, principalmente, colocar em prática todos os aprendizados, é necessário tempo disponível. Sabemos que não é fácil ficar dedicado apenas à startup, mas o nível da concorrência já nos permite dar preferência a empresas que tenham ao menos uma parte dos empreendedores dedicados full-time.

3 – MVP

Uma startup com apenas uma ideia na cabeça e um business model canvas na mão está num estágio muito incipiente. Para aproveitar ao máximo ao programa, é preciso já ter avançando um pouco e submetido um MVP ao mercado. Novamente, o (alto) nível atual de concorrência nos permite selecionar apenas empresas que já tenham um MVP no ar.

4 – Receita

Acreditamos que nada valida melhor uma ideia do que um cliente pagando por ela. Portanto, receita é um fato incontestável e empresas que já conseguiram obter receita com seu MVP disparam na frente das demais. (#ficaadica: vá vender!)

5 – Modelo de Negócios

Por fim, e não por acaso, analisamos o modelo de negócios. Percebam que o mais importante não é o que achamos do modelo de negócios, mas o que o mercado (receita) achou de seu produto (MVP).

Em relação aos modelos, alguns exemplos de aspetos que chamam a atenção:

Aspectos Negativos:

  • Modelos de negócio do tipo C2C (alto CAC)
  • Modelos de negócio marketplace (alto CAC)
  • Mais do mesmo (a cópia da cópia da cópia do Getninjas, do iFood, de agendamento de consulta, de comanda para balada, etc)

Aspectos Positivos:

  • Que resolvam problemas reais!
  • Modelo de negócios B2B
  • Soluções para verticais relevantes no estado (Indústria, Agricultura, Aquicultura, Têxtil, Moda, Portuário, Turismo, etc)
  • Soluções inovadoras para mercados tradicionais
  • Soluções para novos mercados

 

Alexandre Souza

Coordenador do Startup SC, projeto do Sebrae/SC que tem como objetivo o desenvolvimento e fortalecimento das startups catarinenses.