fbpx

Meios de pagamento e-commerce: a fintechização de startups do varejo e tecnologia

Meios de pagamento e-commerce: a fintechização de startups do varejo e tecnologia

 

A fintechização está muito em alta no mundo das startups. Mas você sabe do que se trata esse conceito? É a adaptação de empresas que originalmente não tinham como core do seu negócio o desenvolvimento de soluções financeiras para disponibilizar tal oferta. O maior exemplo disso são os meios de pagamento e-commerce. Isso porque, muitas empresas de varejo e tecnologia que antes vendiam só produtos agora também passam a ter seus próprios serviços financeiros.

Normalmente as empresas, seja de pequeno ou grande porte, acabam partindo para a fintechização por uma demanda apresentada pelo mercado e conseguem fazer disso um negócio rentável.  Para ficar mais claro, neste artigo, você vai entender o que é esse processo e vai conhecer o case da Magazord, startup de Rio do Sul integrante da 10ª turma do Startup SC que passou exatamente por isso. Acompanhe!

 

Meios de pagamento e-commerce: fintechização

Antigamente, os pagamentos eram restritos aos bancos, mas agora as empresas dispõem suas próprias soluções. Um exemplo famoso dessa mudança é o caso da Apple, que hoje possui o próprio meio de pagamento, através do qual é possível parcelar um iPhone em 12 vezes nos EUA, por exemplo, considerando que lá não existia o parcelamento até então.

Assim, o processo de “fintechização” nada mais é do que a criação de uma solução de meios de pagamento e-commerce como um adicional nas soluções que a empresa já tinha. Em alguns casos, pode acontecer até mesmo um spin off, gerando o surgimento de uma nova empresa. Os exemplos para esses novos serviços são contas digitais, cartão de débito e crédito, digital wallet, sistemas de pagamento etc. Além da Apple, Mercado Livre e Magazine Luiza também são exemplos conhecidos da aplicação deste tipo de modalidade.

Ao criar novos players do mercado financeiro, a fintechização gera uma concorrência transversal, uma vez que não competem somente com outras marcas do ramo. Casos como o da Rappi, que além de seus concorrentes nos serviços de delivery, agora concorre também com bancos, já que possui seu próprio cartão de crédito.

 

Por que a fintechização está em alta?

 

Conheça alguns fatores que explicam esse movimento crescente de novos meios de pagamento e-commerce.

  • Com alguns setores altamente competitivos, as empresas viram uma oportunidade de se destacar oferecendo serviços financeiros dentro da mesma marca e agregando uma experiência nova e simplificada para o consumidor;
  • Com a fintechização há também um maior faturamento nos negócios, uma vez que as transações acontecem com a mesma empresa que realizou a venda. Isso aumenta a atração dos clientes e a rentabilidade.

 

Case Magazord: do e-commerce para os meios de pagamento

A startup Magazord é integrante da 10ª turma do programa de capacitação Startup SC e passou pelo movimento de fintechização em 2018. A empresa inicialmente nasceu como um spin off de tecnologia da Cissa Magazine – loja online que já vendeu R$ 1 bilhão em smartphones, e hoje em dia atua também no setor de eletrônicos, eletroportáteis e eletrodomésticos como Marketplace.

Assim, a solução da Magazord é um software para e-commerce com foco nas pequenas e médias empresas. Segundo Jaison Goedert, CEO e cofundador da Magazord, o principal diferencial competitivo da empresa é o atendimento à loja online de ponta a ponta. “Normalmente quem vai montar uma loja online precisa contratar pelo menos cinco fornecedores diferentes (plataforma, ERP, logística, pagamento e marketing), e nós somos uma solução all-in-one.

Comparado com o terceiro trimestre de 2019, o Magazord teve um crescimento no volume de vendas processadas de mais de 264%, ultrapassando a marca de 1 milhão de pedidos no terceiro trimestre de 2020.

Ao longo da operação os sócios identificaram que os clientes da Magazord não tinham relevância nos canais de pagamento mais conhecidos (como PayPal, Mercado Pago etc). Então, passaram pelo processo de fintechização e criaram a MagaPay para ajudar os seus consumidores a se tornarem mais competitivos, já que o software concentra tudo no mesmo lugar. A solução é um dos meios de pagamento e-commerce, que opera tanto no online quanto no off-line. Recentemente, a Magapay  lançou também uma conta bancária.

“Realizamos pesquisas para encontrar uma solução de pagamento no modelo white label (criação de fintechização com baixo custo). Buscamos fornecedores, encontramos um parceiro e demos continuidade com ele. Hoje 95% do que transaciona no Magazord está usando MagaPay”, completa Jaison.

 

MagaPay

 

O MagaPay utiliza o gateway, um dos diferentes meios de pagamento e-commerce, onde todas as informações ficam centralizadas em um único sistema. Através desse software, há uma conexão entre a loja e os tipos de pagamento. 

Dessa forma, o cliente insere os dados do cartão e o sistema envia para as instituições financeiras, confirmando se há saldo para aprovar. As principais vantagens são que a loja poderá oferecer uma série de bandeiras disponíveis e o dinheiro será transferido diretamente para a conta do e-commerce.

A fintechização trouxe novos meios de pagamento para e-commerce e essa mudança já é uma realidade para muitas empresas, especialmente nos ramos de varejo e tecnologia. E aí, você já conhecia esse termo? Já tinha ouvido falar sobre fintechização? 

Para saber mais, acesse o site da edição de 2020 do Case Startup Summit, onde uma série de palestras foram apresentadas nas trilhas de Transformação digital e Ecossistema e Comunidade e abordaram experiências inovadoras como esta. Acompanhe também o blog do Startup SC e deixe suas dúvidas!

Alexandre Souza

Coordenador do Startup SC, projeto do Sebrae/SC que tem como objetivo o desenvolvimento e fortalecimento das startups catarinenses.