fbpx

Open Banking Banco Central: tecnologia no setor financeiro

Open Banking Banco Central: tecnologia no setor financeiro

Open Banking Banco Central: tecnologia no setor financeiro

No começo de maio de 2020 começou a se falar muito sobre o Open Banking Banco Central, já que foram aprovadas as regras pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e o Bacen. Esse sistema tem programação para ser implementado em quatro fases, começando no final de novembro deste ano.

Com isso, mudará a maneira como o mercado financeiro funciona. As informações financeiras das pessoas não estarão só com os bancos, mas com as fintechs, plataformas de crédito, etc. Neste conteúdo, você verá o que é o novo sistema, como irá funcionar a regulamentação no Brasil, e quais são as vantagens para os empreendedores. Confira!

 

O que é Open Banking Banco Central?

 

O Open Banking é um sistema que traz novas regras para o mercado financeiro, onde o consumidor passará a decidir com mais autonomia e liberdade para qual instituição levará seus dados bancários. O ponto é deixar o cliente como único titular de suas informações pessoais, e não mais os bancos.

Claro que para isso deve haver uma autorização permitindo que o sistema compartilhe esses dados entre outras instituições financeiras. Além de serem adotadas várias tecnologias padronizadas, facilitando a portabilidade.

Uma dessas é conhecida como API (Interface de Programação de Aplicações), que permite ampliar a oferta de produtos e serviços financeiros, ajudando na concorrência e competição dessa área. Ela também facilita os processos pois todas as informações do cliente ficarão centralizadas num mesmo sistema. E, claro, tudo isso em um ambiente digital seguro, como é feito com as operações online. 

Em outros locais do mundo, como Reino Unido, EUA, Japão, Austrália, União Europeia e mais alguns, o sistema já funciona. Aqui no Brasil, espera-se que o Open Banking Banco Central vá estimular o setor financeiro, permitindo a entrada de mais players no mercado.

Durante o evento Case Startup Summit, que aconteceu em outubro de 2020, Diego Silva, Chefe de Divisão do Banco Central, contou um pouco sobre a motivação do órgão para colocar esse sistema na sua agenda regulatória, na palestra “O modelo de Open Banking no Brasil”. O modelo de Open Banking no Brasil”.  “O Open Banking do Banco Central é importante para um bom sistema financeiro nacional. Ele é mais justo e permite mais concorrência com a entrega de produtos mais adequados aos clientes”, afirma.

 

Palestra Arena 30 – “O modelo de Open Banking no Brasil”.

 

Como funcionará?

 

Com o Open Banking Banco Central o cliente terá todo o histórico de crédito de décadas com o seu banco em um único sistema. Assim, será possível levar esses dados para outra instituição, sem ter que começar “do zero”.

Para aqueles que desejam migrar de uma instituição para outra ou adquirir um novo produto financeiro, este sistema do Open Banking Banco Central é um facilitador, pois mudar de banco normalmente envolve um processo muito burocrático. 

Os grandes e médios bancos terão participação obrigatória no processo. Já os demais, como fintechs, terão a entrada optativa. 

Uma parte do sistema será regulada pelo Banco Central, com disposições e responsabilidades do compartilhamento dos dados, além de contratações de terceiros etc. A outra parte será autorregulada, definidos pelos próprios participantes, relacionados aos padrões tecnológicos, estrutura de governança, entre outros pontos.

Ainda há os participantes indiretos – não regulados pelo Banco Central -, que podem participar através de parcerias com uma instituição que integra o Open Banking Banco Central – sempre com o aval do cliente. Nestes casos, deverá obedecer uma série de requisitos previstos em Resolução.

Após o sistema entrar em vigor, o usuário deverá dar o consentimento do compartilhamento dos seus dados. As instituições deverão disponibilizar canais de atendimento para o suporte ao cliente que optar pela utilização do Open Banking Banco Central.

 

Vantagens

 

Custos

Através do Open Banking Banco Central e as APIs, o número de intermediários necessários para executar os processos diminuirá. E, com isso, o custo para os bancos e outras instituições também cairão, podendo tornar o trâmite mais rápido e menos oneroso.

 

Liberdade e autonomia

O novo sistema vai facilitar muito os processos, que antes eram cheios de burocracias, como para mudar de banco. No evento Case Startup Summit, Breno Guelman, head de empresas do banco BS2, palestrou sobre “Open Banking Para Empresas”, em que elencou os principais benefícios do novo sistema para os empreendedores, tanto como pessoas físicas quanto como negócios.

Segundo ele “a partir do momento que a empresa é aberta, o cliente pode enviar automaticamente as informações cadastrais para o banco ou instituição financeira através das APIs. Assim, os bancos recebem essas informações de forma prática, sem a necessidade de digitação em campos adicionais. E em poucas horas, ele tem a conta aberta”, explica.

 

Competitividade

O Open Banking Banco Central e as APIs aumentarão a entrada de novos produtos e serviços financeiros para os clientes. E, assim, criará um ambiente mais competitivo e com mais opções para o consumidor.

Dessa forma, o Open Banking Banco Central será uma nova funcionalidade não só para as empresas do ramo financeiro se beneficiarem, mas para toda a comunidade. O sistema prevê aumentar a competitividade, facilitar os processos e reduzir os custos das operações. 

Você está acompanhando essa movimentação? Já sabe como ela pode impactar o seu negócio? Então continue lendo novos conteúdos no blog do Startup SC e não deixe de entrar em contato se tiver dúvidas!

Alexandre Souza

Coordenador do Startup SC, projeto do Sebrae/SC que tem como objetivo o desenvolvimento e fortalecimento das startups catarinenses.