fbpx

Bootstrapping: o que é, quais as vantagens e riscos para startups

Bootstrapping: o que é, quais as vantagens e riscos para startups

Você sabe já ouviu falar de bootstrapping, sabe o que é? Em linhas gerais, bootstrapping é a criação de uma startup utilizando somente recursos próprios dos sócios. Ou seja, é um formato de negócio que não conta com investimento externo algum além das economias dos próprios fundadores da empresa. Este termo é muito utilizado no universo do empreendedorismo e também consiste em um formato de negócio, mas que ainda gera muitas dúvidas.

Neste modelo, as entradas externas de capital vêm por meio dos primeiros clientes, valor que é normalmente reinvestido pelos sócios na manutenção da empresa de forma cíclica até que ocorra um crescimento e a operação da empresa se torne sustentável. 

Empreendedores bootstrappers são, normalmente, altamente qualificados e habilidosos, buscando estruturar e alavancar o crescimento do negócio com as próprias pernas, mostrando valor com a sua solução e integrando o mercado com reconhecimento e adesão.

 

Vantagens e riscos do bootstrapping para startups

Voar com as próprias asas. Este é o principal norte de startups que atuam no modelo bootstrapping, o que é totalmente compreensível do ponto de vista dos empreendedores, mas que provoca incertezas em alguns casos. Muitas vezes pode parecer mais seguro contar com investimentos externos para apoiar a empresa, pois o dinheiro próprio pode não dar conta, e este é, de fato, um dos principais riscos da operação em bootstrapping.

Alguns estudiosos do empreendedorismo acreditam que toda startup deveria surgir bootstrap, ou ao menos vivenciar essa experiência por um período, pois os ganhos são muitos. Captar recursos financeiros pode parecer um grande desafio, e realmente requer preparação e dedicação. No entanto, o processo de bootstrapping ajuda os empreendedores a traçar um caminho para chegar lá com maior maturidade e conhecimento sobre negócios e gestão, permitindo um crescimento sustentável e lucrativo a médio e longo prazo.

 

Desenvolvimento relâmpago

Um ponto importante de ser compreendido sobre o processo de bootstrapping é que se trata de um caminho árduo e de muita luta por parte dos empreendedores, mas que traz grande crescimento pessoal e profissional. Empreender já é um desafio, ainda mais sem recurso algum vindo de fora. 

Durante um processo de bootstrapping será preciso solucionar contratempos da forma mais otimizada possível. Por isso ao mesmo tempo em que é um grande desafio esta é também uma das características positivas que o formato traz ao empreendedor: o desenvolvimento rápido de habilidades como a resiliência, a persistência e o pensamento estratégico. Outra habilidade também desenvolvida neste processo é a de improvisar, essencial para encontrar diferentes formas de superar desafios quando algo não sai como planejado.

Dessa forma, o empreendedor é “forçado” a se desenvolver muito rápido enquanto gestor e líder, implementando soluções criativas que poderiam não surgir em uma situação mais “confortável”, por exemplo.

 

Atração dos talentos certos

As equipes com as quais esses empreendedores trabalham também precisam estar engajadas no propósito, pois podem ser tempos difíceis no início, mas é preciso apresentar dados para mostrar a eles que o futuro poderá ser promissor.

Assim, a atração dos talentos certos para a sua startup é mais uma das vantagens oferecidas pelo modelo bootstrapping, o que é um caminho muito comum para empresas nesta etapa da sua trajetória que contam com profissionais menos experientes, mas que têm alto potencial de desenvolvimento e engajamento com a causa e o propósito do negócio.

 

Cultura e valores próprios da startup

Ainda pensando na parte de pessoas, um ativo importante e que agrega muito para a competitividade da sua startup no mercado é a criação de uma cultura e valores próprios. Quando o negócio opera no formato de bootstrapping — o que é o mesmo que não contar com investimentos externos e, portanto, interferências no negócio — existe a possibilidade de desenvolver o próprio modo de ser e se posicionar da startup e de seu time, fortalecendo sua imagem e gerando unidade para os colaboradores.

 

Maior controle do negócio e parceiros

Quando o assunto é bootstrapping o grande destaque do ponto de vista de vantagens é o maior controle sobre os rumos do negócio. Sem investidores, você não precisará compartilhar a sociedade da empresa com terceiros e poderá desenvolver as ações e planejamentos estratégicos com autonomia por meio da sua própria avaliação e decisões.

Após um período de bootstrapping, o negócio ganha maturidade e você terá maior clareza sobre o funcionamento, o mercado de atuação e sobre seus objetivos. Assim, receber um investimento e também selecionar a fonte dele virá como uma escolha sua para alavancar o crescimento e ter no investidor um parceiro real do seu negócio.

 

Bootstrapping: o que é possível fazer para começar

Alguns dos caminhos possíveis para iniciar uma startup no formato de bootstrapping é fazer uma reserva financeira para poder investir no seu negócio, ou manter uma jornada dupla no início, seguindo com algum trabalho formal e a startup em paralelo.

Algumas dicas finais para você ter certeza de que está preparado para iniciar uma jornada em bootstrapping:

 

  • Considerar os riscos envolvidos ao empreender em uma jornada sem investimentos externos 
  • Ter foco claro no cliente e em solucionar uma dor real dele
  • Ter clareza do seu negócio e das estratégias escolhidas

Para saber mais sobre o universo do empreendedorismo, continue acompanhando o blog do Startup SC e entenda como programas de capacitação podem apoiar o desenvolvimento de empresas bootstrapping.

Alexandre Souza

Coordenador do Startup SC, projeto do Sebrae/SC que tem como objetivo o desenvolvimento e fortalecimento das startups catarinenses.