fbpx

Growth Hacking: o que é e como você pode aplicar na sua startup

Growth Hacking: o que é e como você pode aplicar na sua startup

Growth Hacking: o que é e como você pode aplicar na sua startup

Growth Hacking é, na prática, tudo o que a empresa faz para crescer. É um termo recente e muito utilizado pelas startups, que usam a criatividade para decolar seus negócios. 

Muitas empresas grandes como Facebook, Twitter, LinkedIn e Airbnb utilizaram técnicas de Growth Hacking no começo dos seus negócios. Por isso, para iniciar sua startup com um crescimento exponencial, conheça o conceito e como você pode aplicá-lo!

 

O que é Growth Hacking?

 

Apesar de ser um termo abrangente, Growth Hacking tem a ideia de “crescimento” como ponto central da sua definição. Foi criado por Sean Ellis quando estava pensando em uma nova descrição para o conceito de “trabalho”. Ele definiu: “É uma área cujo objetivo é o verdadeiro crescimento. Tudo o que é feito, deve ser examinado por seu potencial impacto sobre o crescimento escalável.”  (Sean Ellis)

Sendo assim, entende-se que o Growth Hacking está relacionado ao marketing digital, mas que não se restringe apenas a campanhas de e-mail marketing, produção de conteúdo etc. A estratégia vai além disso, desenvolvendo um planejamento voltado para o crescimento da empresa, unindo o marketing, dados e softwares.

Segundo Diego Contezini, mentor do Startup SC, diz que “Growth Hacking é tudo que se faz é para a empresa crescer”. Por isso, a técnica se trata de um modo de pensar e agir orientado a experimentações e resultados que deve estar presente na cultura da empresa para que funcione.

Apesar de o crescimento ser baseado em métricas, o marketing é orientado para os experimentos. Seguindo esse conceito, o trabalho deve ser focado em buscar oportunidades ou gatilhos para criar estratégias.

Por isso, apesar de ter um conceito simples, não há fórmula mágica. É preciso passar por muitos testes e muita análise em busca da constante evolução.

 

Como aplicar Growth Hacking na sua startup?

 

Sabendo o significado do termo Growth Hacking, você já pode começar a voltar sua estratégia e planejamento para o crescimento exponencial. Para complementar ainda mais o seu aprendizado, aproveite e confira também as palestras do evento Case Startup Summit, promovido pelo Startup SC em parceria com a Associação Brasileira de Startups (ABStartups) sobre a estratégia: Crescer dói! Growth não é só um termo da moda, Growth Hacking: o que é e como aplicar na sua empresa e Product Led Growth: como aplicar em diferentes segmentos e tamanhos de empresa.

Veja a seguir alguns pontos fundamentais desta partida para a prática.

 

Perfil para trabalhar com Growth Hacking

 

Para começar a entender como implementar estratégias de Growth Hacking na sua startup é preciso pensar na dedicação de ao menos uma pessoa para essa função. Não que ela não possa executar em paralelo outras atividades, porém alguém precisa estar olhando para isso. É como no caso do marketing, a ideia é a mesma. Para saber quem melhor pode se adequar, confira algumas dicas. 

O perfil do Growth Hacker é de um profissional imerso no marketing e também nos processos da empresa. Esta pessoa deve ser capaz de realizar análises científicas e estudar bastante o mercado, produto e cliente, para produzir gatilhos. É preciso ter criatividade para desenvolver e testar hipóteses replicando os acertos e mitigando os erros.

Seu olhar deve ser sempre voltado para o crescimento e atento para as oportunidades focando em alternativas inovadoras. Segundo Diego, “é preciso estudar sobre diferentes assuntos. Estudar temas de lógica, técnicas, mas também sobre softskills. É muito importante se desenvolver para conseguir levar a empresa adiante”.

Uma forma de descrever este perfil passa pelo conceito de profissional T Shaped, que é uma pessoa multifacetada com competências desenvolvidas em diferentes áreas do conhecimento. Integradas essas habilidades e aptidões permitem que esta pessoa desenvolva e corra atrás das principais ações para o crescimento das startups.

O modelo T Shaped visa envolver o profissional em um modelo de aprendizado que se aprofunda em níveis de conhecimento em duas novas etapas a partir do que é considerado como a base, na seguinte linha:

  • base de conhecimento: temas como estatística, capacidade analítica, programação, ui/ux, wireframe, banco de dados e webscraping;
  • fundações do marketing: nesta etapa começam a ser desenvolvidas competências ligadas a psicologia comportamental, pesquisa, storytelling, copywriting, funil de marketing, CRO, testes A/B e automação;
  • expertise de canal: onde tende a ocorrer uma maior especialização por canais e estratégias específicas, como SEO, PPC, e-mail marketing, mobile marketing, remarketing/retargeting, marketing de conteúdo, social media, marketing viral, PR, construção de comunidade, vendas e desenvolvimento de novos negócios.

 

Testes A/B

 

Outro ponto importante do Growth Hacking é testar. As ideias vindas do planejamento  precisam ser experimentadas para saber se podem ou não levar a empresa a um crescimento real.

Para isso é preciso fazer perguntas baseadas em estatísticas e métricas do seu negócio, produto e mercado. Transforme as ideias em hipóteses, coloque-as em teste e depois faça uma grande análise em cima disso, verificando o que deu certo e o que não deu.

Lembre-se de que o foco deve ser nos objetivos de cada hipótese, e que deve haver um monitoramento constante delas. E não se preocupe se não encontrar soluções definitivas. Aqui só é preciso comprovar ou refutar essas possibilidades. Por isso, os testes devem ser realizados de maneira ágil.

 

Marketing viral

 

Esta dica é sobre aquele tipo de conteúdo que se espalha de forma rápida. Pode ser um vídeo, uma foto, um meme etc. Normalmente surge de uma ação não convencional, fora da caixa, e que chama a atenção de todos.

Por isso, procure fugir do tradicional, utilizando muita criatividade para chamar a atenção em suas campanhas. Assim a sua startup se destaca dos concorrentes, criando uma conexão mais especial com o seu público-alvo.

 

Capacitação da equipe

 

Seu time precisa ser heterogêneo, com pessoas criativas e pessoas com conhecimento em áreas diferentes para colocar estratégias de Growth Hacking em prática. É preciso uma equipe com mentes mistas, para que possam ter ideias diferentes, planejar hipóteses e colocá-las em prática.Assim, utilizar o conceito de Growth Hacking trará um crescimento exponencial para sua startup. Ficou mais claro o que é este conceito e como ele pode começar a ser aplicado no seu dia a dia? Então acompanhe cada vez mais conteúdos como este no blog do Startup SC e compartilhe com seus colegas se achar que te ajudou e pode ajudar mais alguém também!

Alexandre Souza

Coordenador do Startup SC, projeto do Sebrae/SC que tem como objetivo o desenvolvimento e fortalecimento das startups catarinenses.